segunda-feira, 27 de abril de 2009

Criação de aves exóticas está em alta no Espírito Santo.

Jornal A Tribuna - 26/04/2009
Além de criadouros de canários, estimado em mais de 500 em Laranja da Terra, está crescendo a produção de outras aves exóticas no município, como a calopsita e o agarponis.
O comprador e criador de pássaros Sidinei Kuster Sobreiro, 27 anos, disse que esse é um mercado
em ascensão.
“O valor de um filhote de calopsita, por exemplo, gira em torno de R$ 50,00. Assim como os canários, a maior parte da produção eu vendo para o Rio de Janeiro e Minas Gerais”, afirmou.
O casal Jair e Ana Marques, da localidade de Manteiga, além da criação de canários, pretende iniciar a criação da calopsita, que tem o valor comercial mais elevado. O produtor Enival Grunewald, o Filinho, também diversifica a criação das aves.
“Atualmente, tenho 13 casais de mandarim, 10 casais de agarponis e cerca de 25 casais de periquitos australianos. Os periquitos, diferentes dos demais pássaros, produzem o ano inteiro, e podem viver todos juntos em um mesmo viveiro”, relatou.
Sidinei Sobreiro ressaltou que, no período de reprodução dos canários, ele chega a comercializar até 3 mil canários por mês.
“Cerca de 90% da produção de aves de Laranja da Terra é vendida para o Rio de Janeiro. Normalmente, eu levo os pássaros para lá a partir de encomendas”, explicou. Parte da produção também e vendida para a Grande Vitória.

ACASALAMENTO
O período de acasalamento dos canários começa em junho e vai até dezembro. Os casais são colocados em gaiolas ou viveiros separados, onde a cada 40 dias, em média, produzem uma nova ninhada. É essencial deixar fios de estopa ou mato fino e seco para que o casal possa fazer o ninho.
As fêmeas botam, geralmente, de quatro a cinco ovos em dias seguidos e a incubação leva em torno de 13 dias.
Com 15 a 20 dias, os filhotes começam a deixar o ninho, mas são mantidos com os pais por pelo menos 30 dias. Muitas vezes, a fêmea já está chocando novamente e os filhotes da ninhada anterior ainda estão com os pais.
Filinho observou que um mesmo macho pode acasalar com até três fêmeas de uma só vez. “Para criar canários, assim como as outras espécies de aves, tem que gostar e ter muito capricho. A dedicação e o zelo são primordiais para que nasçam sempre filhotes bonitos e sadios”, frisou o produtor.